Toda a Ucrânia está em estado de alerta aéreo. A Rússia lançou um ataque em larga escala com mísseis e drones contra várias cidades ucranianas, incluindo a capital Kiev, Kharkiv, Lviv e Odessa. O ataque resultou em dezenas de mortes e feridos.

O alerta aéreo foi ativado em todo o território ucraniano por volta das 07h00 (hora local), depois de a Rússia ter lançado um ataque em grande escala com mísseis e drones.

A Força Aérea Ucraniana relatou que “nunca havia testemunhado tantos locais sendo alvo de ataques simultâneos” como aconteceu durante esta manhã. Yurii Ihnat, porta-voz da Força Aérea Ucraniana, descreveu o ataque como “massivo”.

De acordo com informações das Forças Armadas ucranianas, a Rússia usou 158 meios de ataque aéreo em seu “ataque militar massivo” contra a Ucrânia.

O comandante-chefe das Forças Armadas, Valerii Zaluzhnyi, afirmou que Moscou começou com o método “mais tradicional”, lançando vários drones de fabricação iraniana. Em seguida, foram lançados pelo menos 55 mísseis de cruzeiro, 14 mísseis balísticos, cinco mísseis aerobalísticos e vários mísseis anti-radares.

Zaluzhnyi também informou que a Ucrânia conseguiu derrubar 27 dos 36 drones lançados pela Rússia, além de 87 mísseis.

Os ataques atingiram maternidades, instituições educacionais, centros comerciais, edifícios residenciais de vários andares, residências particulares, armazéns comerciais e estacionamentos. Segundo a Força Aérea, a Rússia usou mísseis hipersónicos, de cruzeiro e balísticos, incluindo aqueles que são extremamente difíceis de intercetar.

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, expressou suas condolências às famílias das vítimas em uma mensagem publicada nas redes sociais e prometeu responder aos “ataques terroristas”. Ele enfatizou o compromisso contínuo de lutar pela segurança de todo o país e de cada cidadão, afirmando que “o terror russo deve e irá falhar”.

Daniel dedica-se a explorar e analisar os complexos contextos sociopolíticos de Portugal e da Europa.