O presidente do Partido Social Democrata (PSD) expressou, na sua mensagem de Natal, a perspetiva de que a atual crise política em Portugal pode ser vista como uma oportunidade para os cidadãos mudarem o governo e melhorarem as suas vidas, prometendo uma visão renovada.

O líder do PSD, Rui Rio, afirmou: “Neste Natal, enfrentamos uma situação de incerteza e indefinição em Portugal. O primeiro-ministro demitiu-se, e o governo foi destituído. Portanto, estamos a atravessar uma crise política no contexto dos graves problemas e desafios económicos e sociais que já enfrentávamos.”

No entanto, Rui Rio acredita que “esta crise política também representa uma oportunidade”.

“É uma oportunidade para mudarmos de governo, para mudarmos de vida e para resolvermos os problemas que enfrentamos diariamente”, acrescentou.

O líder do PSD afirmou que o seu partido e ele próprio não aceitam um país “onde os jovens emigram à procura de oportunidades”, onde “a classe média é oprimida, sufocada por uma carga fiscal elevada” e onde “os reformados veem o seu poder de compra diminuir a cada ano, tornando-se cada vez mais isolados”.

“Este Natal também é uma oportunidade para olharmos para Portugal e vislumbrarmos um futuro, uma esperança, uma ambição renovada”, defendeu Rui Rio.

O líder social-democrata acredita que é possível que o país cresça economicamente, “melhore a gestão dos principais sistemas de saúde, educação e habitação”, sem negligenciar questões éticas.

“É possível termos uma sociedade mais justa, mais transparente, onde as preocupações éticas estejam no centro do comportamento dos agentes políticos e públicos”, afirmou.

Rui Rio também recordou que em 2024 se assinalarão os 50 anos do 25 de Abril, um momento para “celebrar a liberdade e os princípios” da democracia portuguesa.

“É dentro deste quadro de esperança, ambição e sentido de responsabilidade que desejo a todos um feliz Natal. Um Natal que seja também uma oportunidade para, em família, tirarem as vossas conclusões sobre o caminho que percorremos até aqui e o que devemos começar no próximo ano”, concluiu, expressando o desejo de que seja possível construir “um país mais próspero e justo”.

Portugal realizará eleições legislativas antecipadas em 10 de março de 2024, decretadas pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, na sequência da demissão do primeiro-ministro, António Costa, em 7 de novembro, devido a uma investigação do Ministério Público no Supremo Tribunal de Justiça.

A campanha eleitoral para as eleições legislativas decorrerá de 25 de fevereiro a 8 de março.

Daniel dedica-se a explorar e analisar os complexos contextos sociopolíticos de Portugal e da Europa.