O Eurobarómetro, na sua centésima edição, realizado entre outubro e novembro e agora publicado, traz à luz dados reveladores. A maioria dos inquiridos continua a demonstrar apoio às medidas a favor da Ucrânia, destacando-se a guerra no país como um dos principais problemas enfrentados pela União Europeia, em par com a questão da imigração.

Quando questionados sobre os dois principais desafios enfrentados pela União Europeia, os inquiridos apontaram a guerra na Ucrânia (28%) e a imigração (28%) como suas principais preocupações, superando a situação internacional (24%) e a inflação (20%).

As medidas em resposta à invasão russa na Ucrânia receberam amplo apoio. Isso inclui ação humanitária (89% na média da União Europeia e 96% em Portugal), acolhimento de refugiados de guerra na União Europeia (84% na média da UE e 96% em Portugal), apoio financeiro à Ucrânia (72% na média dos 17 países e 89% em Portugal) e sanções económicas contra a Rússia (com 72% de aprovação na média geral da União e 93% em Portugal). Além disso, 61% dos inquiridos apoiam o estatuto de país candidato concedido à Ucrânia, com Portugal registando 82% de apoio a este estatuto. Adicionalmente, 60% dos inquiridos são favoráveis ao financiamento da compra e entrega de equipamento militar à Ucrânia pela União Europeia, com Portugal apresentando uma taxa de 82% de apoio.

O inquérito também revelou que 83% dos inquiridos desejam que a União Europeia realize investimentos significativos em energias renováveis, enquanto 91% defendem que a Europa deve reduzir a sua dependência das fontes de energia russas o mais rápido possível. Portugal destaca-se como o país com o maior apoio a investimentos em energias renováveis, com 96% dos inquiridos a favor dessa medida.

Além disso, Portugal lidera quando se trata da perceção da União Europeia como um bastião de estabilidade num mundo tumultuado, com 91% dos portugueses acreditando nisso, enquanto a média da União é de 70%.

No que diz respeito ao futuro da Europa, 61% dos inquiridos mostram-se otimistas, mas Portugal ocupa o 17º lugar com 59% de confiança no futuro da Europa.

É relevante também salientar que 57% dos cidadãos europeus acreditam que os imigrantes têm uma influência positiva no seu país, com Portugal registando uma percentagem ainda mais alta, 66%. No entanto, 29% dos portugueses não concordam que os migrantes contribuam de forma positiva para o país.

Quanto às migrações, 69% dos inquiridos são a favor de uma política comum de migração, 68% apoiam a ideia de um Sistema Europeu de Asilo e 75% defendem o reforço das fronteiras. A esmagadora maioria dos portugueses, 85%, acredita que a Europa deve prestar assistência aos refugiados.

Este Eurobarómetro destaca a persistente solidariedade europeia em relação à Ucrânia e oferece uma visão abrangente das opiniões dos cidadãos europeus sobre uma série de questões críticas. Em Portugal, a adesão a investimentos em energias renováveis e a crença na estabilidade proporcionada pela União Europeia são particularmente notáveis.

Daniel dedica-se a explorar e analisar os complexos contextos sociopolíticos de Portugal e da Europa.