Os Estados Unidos da América anunciaram recentemente um apoio militar adicional à Ucrânia, no valor de 100 milhões de dólares (aproximadamente 91,6 milhões de euros). Este novo pacote de ajuda inclui, em particular, equipamentos de defesa antiaérea. A declaração foi feita no mesmo dia em que o secretário da Defesa dos EUA se encontrou em Kiev.

Conforme detalhado em comunicados do Pentágono e do Departamento de Estado, o pacote abrange sistemas Himars, munições de artilharia e armas antitanque, além de munições de pequeno calibre. Este apoio surge de fundos já aprovados pelo Congresso americano, aguardando-se ainda a decisão sobre uma nova doação à Ucrânia, solicitada pelo Presidente Joe Biden, mas que enfrenta resistência por parte dos republicanos.

Antony Blinken, secretário de Estado dos EUA, enfatizou a importância de o Congresso aprovar um orçamento suplementar para sustentar a Ucrânia, referindo-se à necessidade de medidas de suporte adicionais. Durante a visita a Kiev, o secretário da Defesa norte-americano garantiu ao presidente ucraniano Volodymyr Zelensky um apoio contínuo e firme de Washington, em face da invasão russa.

Os EUA são os principais doadores de ajuda militar à Ucrânia, contribuindo com pelo menos 44 mil milhões de dólares desde o início da invasão russa. A agressão militar russa na Ucrânia, iniciada em 24 de fevereiro do ano anterior, é vista como a crise de segurança mais significativa na Europa desde a Segunda Guerra Mundial. Os aliados ocidentais da Ucrânia têm fornecido armamento e aprovado sanções sucessivas contra a Rússia, visando reduzir a sua capacidade de financiar a guerra​​.

Daniel dedica-se a explorar e analisar os complexos contextos sociopolíticos de Portugal e da Europa.