Após marcar presença na 78.ª sessão da Assembleia Geral da ONU, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, reservou tempo para um encontro com a comunidade portuguesa residente no estado de Nova Iorque, no âmbito da sua visita aos Estados Unidos da América, que ocorre no quarto dia.

O evento deu-se em Tarrytown, localizado aproximadamente 50 quilómetros a norte da cidade de Nova Iorque, onde se realizou uma gala da associação New York Portuguese American Leadership Conference (NYPALC), concluindo com um jantar.

Marcelo Rebelo de Sousa aterrara nos Estados Unidos no domingo à noite, com o objetivo de integrar o diálogo anual geral entre líderes dos 193 países membros da Organização das Nações Unidas. No seu discurso, proferido na terça-feira, o Presidente deixou claro o seu apelo para um compromisso mais proativo na reforma das estruturas da ONU e de entidades financeiras globais. “Ano após ano, fazemos promessas. É tempo de as concretizar”, sublinhou.

Ao longo da semana, o Presidente português teve oportunidade de reunir-se com o secretário-geral da ONU, António Guterres, e participou em diversas cimeiras centradas em temas como o desenvolvimento sustentável e as alterações climáticas, bem como num debate do Conselho de Segurança da ONU sobre a situação na Ucrânia.

Antes da sua aparição em Tarrytown, Marcelo desfrutou de um passeio em Manhattan, Nova Iorque, visitando estabelecimentos portugueses em Times Square. Após um percurso de cinco dias no Canadá na semana anterior, o regresso a Portugal está agendado para sexta-feira à noite, após um novo encontro com emigrantes portugueses, desta feita no estado de New Jersey.

Tanto Marcelo Rebelo de Sousa quanto o ministro dos Negócios Estrangeiros, João Gomes Cravinho, mantiveram encontros bilaterais em Nova Iorque, procurando, entre outras metas, apoiar a candidatura de Portugal a um assento não-permanente no Conselho de Segurança da ONU para o biénio 2027-2028.

Este conjunto de iniciativas reflete o compromisso de Marcelo Rebelo de Sousa em reforçar os laços com a diáspora portuguesa e em promover Portugal e os seus interesses a nível internacional, enquanto se mantém ativo no diálogo sobre questões prementes da agenda global.

Daniel dedica-se a explorar e analisar os complexos contextos sociopolíticos de Portugal e da Europa.